COMO A MUDANÇA BRUSCA DE TEMPERATURA AFETA A SAÚDE

Escrito por em 10/07/2019

Chegada do inverno deve ser motivo de cuidados especiais com a saúde; entenda como as baixas temperaturas podem ser prejudiciais.

A cena é comum em muitas cidades: saímos de casa pela manhã para o trabalho, com roupas leves, e no fim do dia voltamos passando frio. As mudanças bruscas de temperatura podem ocorrer a qualquer momento, mas são mais propícias nessa época do ano.

Infelizmente, nosso corpo sente mais do que a sensação de frio quando não está bem agasalhado. Essa condição pode desencadear alergias, resfriados e baixar a imunidade. Crianças e idosos, mais sensíveis, sentem ainda mais os efeitos dessas alterações climáticas. Será que é possível se prevenir?

As mudanças que ocorrem em nosso corpo

Quando a temperatura esfria, nosso corpo gasta mais energia para se manter aquecido. Como consequência, sentimos mais fome e vemos a nossa capacidade de defesa ser reduzida. Os ambientes fechados na maior parte do dia passam a ser outra ameaça: a falta de renovação de ar facilita a transmissão de vírus.

(Foto por: Hal Gatewood on Unsplash)

A consequência disso é que a procura por atendimento médico aumenta. Aqueles que já tem propensão a ter problemas respiratórios, como asma ou bronquite, tendem a ver a situação se agravar. Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) comprovou que quem tem rinite alérgica tem mais chances de desenvolver sintomas respiratórios e oculares, como coceira no nariz ou ardor nos olhos, quando os termômetros oscilam.

Pacientes com histórico de problemas cardíacos também devem redobrar a atenção e se agasalhar bem. Quando há alteração repentina da temperatura, do quente para o frio, a pressão aumenta e pode ocorrer uma crise hipertensiva. Já no cenário oposto, do frio para o quente, o sangue fica mais espesso, as artérias se contraem e a pressão tende a cair.

Problemas de saúde mais comuns no meio do ano

A chegada do inverno potencializa uma série de más condições de saúde, especialmente relacionadas a problemas respiratórios, viroses, alergias e problemas cardíacos. Além disso, dias mais frios podem provocar mudanças no humor, deixando as pessoas suscetíveis à tristeza ou depressão.

Gripe

Lugares fechados e com maior concentração de pessoas tendem a ser mais propícios para a circulação do vírus Influenza. Por isso, é comum ficarmos gripados nessa época do ano. A melhor forma de prevenção é a vacina contra a gripe. E, em caso de percepção dos sintomas – dor, febre e inflamação nas vias respiratórias – procure um médico.

Problemas cardíacos

O sistema cardiovascular também é impactado com as mudanças bruscas de temperatura. Quando o clima esquenta, o sangue fica mais espesso e a pressão tende a cair.


O esforço empreendido pelo coração para bombear o sangue aumenta e, aqueles que têm alguma dificuldade, podem sofrer mais.

Pneumonia

As baixas temperaturas fazem com que a nossa imunidade fique mais baixa, pois o corpo dispende mais energia para manter as funções vitais. Algumas bactérias podem se aproveitar disso por causar infecções que inflamam os pulmões – resultando em pneumonia. Crianças e idosos têm mais risco.

Alergias

A causa da maioria das alergias respiratórias são os ácaros. Eles se abrigam em tapetes, almofadas, cortinas e roupas e se aproveitam das temperaturas mais baixas. Quando o tempo fica mais frio, é comum que as pessoas abram menos as janelas e diminuam o ritmo da limpeza. Evitar a poeira acumulada é a melhor prevenção.

Beba muita água

Em dias frios temos a tendência de nos hidratar com menor intensidade. Isso é um grande erro, especialmente se o clima estiver seco.

(Foto Francesca Hotchin on Unsplash)

Faça ajustes na alimentação

No inverno precisamos de mais energia para manter as funções vitais do organismo. Por conta disso, é necessário fazer ajustes na alimentação. Alimentos que aceleram o metabolismo e opções mais calóricas são as melhores escolhas. Apenas tome cuidado para não abusar de alimentos gordurosos.

Areje os ambientes

Em dias frios temos menos vontade de abrir as janelas e o ar-condicionado permanece sempre ligado. Manter a casa fechada impede a circulação de ar, o que favorece a proliferação dos vírus, fungos e bactérias. Portanto, por mais que o frio seja um incômodo, abra a casa algumas vezes ao dia para renovar o ar.

Evite o “choque térmico”

Se as mudanças bruscas de temperatura afetam a saúde, imagine então sair de um lugar quente para um frio: o impacto é imediato.

Se estiver em um ambiente abafado, proteja o nariz e a boca com a blusa ou um cachecol antes de sair para o frio. Previna-se, não espere sentir frio para tomar uma atitude.
(Foto Jose de la Cruz on Unsplash)

Lave as roupas de inverno

Quando a temperatura cai chega a hora de resgatar os casacos do armário. Porém, depois de muito tempo sem uso, eles podem estar embolorados ou mofados e, o simples fato de vesti-los pode causar alergias. Sendo assim, aproveite esse período para lavar as roupas ou colocá-las no sol antes de utilizá-las.


Opiniões do leitor

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *



[Não há estações de rádio no banco de dados]