Inclusão social: primeiro, o Tamar cuida de gente.

Escrito por em 08/07/2019

Baseado numa estratégia múltipla, o programa de conservação ambiental do Tamar interage com as comunidades envolvidas e outros atores sociais, dando suporte para a sustentabilidade das ações a longo prazo. Isso porque a equipe do Tamar compreendeu que é preciso cuidar primeiro das pessoas, para que elas tenham condições de proteger a natureza, o mar e as tartarugas marinhas. As populações locais são essenciais no processo, na medida em que podem influir diretamente nas condições do habitat desses animais, reduzindo a pressão sobre os ecossistemas e as espécies.

Aliado às campanhas educativas de informação, sensibilização e conscientização ambiental, o Tamar promove a busca de alternativas de subsistência não predatórias para os pescadores e suas famílias, beneficiando-os com várias ações de inserção social. Apóia creches e escolas; oferece possibilidade de trabalho e profissionalização para mulheres e jovens nas confecções, oficinas produtivas e outras iniciativas, inclusive através de parcerias com várias cooperativas; o artesanato e a cultura locais são valorizados; incentivam-se e valorizam-se tradições culturais regionais, como bordados e renda de bilro, grupos folclóricos e de capoeira.

Programas de sensibilização e educação ambiental

Programas permanentes de sensibilização ambiental seguem informando usuários de praias, moradores, empresários, pescadores e turistas sobre a importância da colaboração de todos para que as tartarugas possam dar continuidade ao seu ciclo de vida.

Nossa Praia É a Vida – Continua apresentando resultados positivos, como a iniciativa espontânea de moradores de condomínios, donos de barracas e empreendimentos instalados em áreas onde há desovas para ajudar a minimizar os problemas causados às tartarugas marinhas.

Participam de fiscalização e controle de veículos que transitam nas praias e nos condomínios, além de ajudar na divulgação de boas maneiras no uso das praias, e adequação da iluminação artificial na orla. As luzes são a maior ameaça no período da desova, pois podem desorientar as tartaruguinhas, que em vez de procurarem o mar, acabam em busca da iluminação artificial e morrem geralmente por insolação.

Nem Tudo que Cai na Rede É Peixe – Realiza-se um trabalho intensivo de valorização e orientação aos pescadores, cada vez mais informados sobre a sua importância e participação no programa de conservação das tartarugas, que passam 90% de seu ciclo de vida no mar. Equipes do TAMAR fazem palestras sobre impactos das redes e da poluição; sobre porque e como ajudar as tartarugas afogadas; legislação e dados da última temporada de reprodução, entre outros assuntos. Como resultados, cada vez mais pescadores libertam com vida ou entregam aos pesquisadores tartarugas com algum ferimento capturadas incidentalmente.

III Jovem Mar mostrou ações para o futuro da conservação marinha

Jovens de diferentes localidades estiveram com os projetos da Rede Biomar no III Encontro Nacional Jovem Mar, organizado pelo Coletivo Jovem Albatroz no Sesc Bertioga-SP, de 8 a 12 de abril de 2019. A terceira edição do encontro reuniu 55 jovens dos projetos de conservação da biodiversidade marinha patrocinados pela Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental, projetos Albatroz, Coral Vivo, Golfinho Rotador, Baleia Jubarte e Tamar. Foram debatidas questões importantes para pensar como jovens podem atuar na conservação marinha nos locais onde vivem, de forma cooperativa, acompanhando e analisando políticas públicas que vinculam a juventude e o ambiente marinho.

Eles levaram suas experiências culturais e ecológicas, suas visões de mundo e objetos ligados a suas regiões, propuseram ações, levantaram ideias e possibilidades de formação redes de trabalho colaborativo de ações com foco no ambiente marinho e nas espécies protegidas pelos projetos. “Foi um momento de crescimento individual, coletivo e institucional, de profundo aprendizado e intensa vontade de construir um mundo melhor”, diz a coordenadora de educação ambiental e inclusão social do Tamar, Valéria Rocha.

Rede Biomar
A Rede Biomar é formada por 5 projetos de conservação marinha patrocinados pela Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental, Projeto Albatroz, Projeto Tamar, Projeto Golfinho Rotador, Projeto Coral Vivo e Projeto Baleia Jubarte. A Rede tem o objetivo de contribuir para a conservação da biodiversidade marinha no Brasil, através da proteção e pesquisa das espécies e seus habitats, promovendo a sensibilização e a articulação da sociedade em torno do tema.

Nas ações de educação ambiental e inclusão social dos projetos da Rede Biomar há aquelas voltadas à juventude, para a compreensão de características de ambientes marinhos onde atuam, as espécies símbolo que protegem e os desafios enfrentados para sua conservação, buscando consolidar uma cidadania ambiental.

Conheça mais sobre os projetos da Rede Biomar:

www.projetotamar.org.br 
www.projetoalbatroz.org.br 
www.coralvivo.org.br 
www.baleiajubarte.org.br 
www.golfinhorotador.org.br


Opiniões do leitor

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *



Continue lendo

[Não há estações de rádio no banco de dados]